Página inicial > Medievo - Renascença > Macariana Pseudo-Macário

Macariana Pseudo-Macário

terça-feira 29 de março de 2022

    

Pseudo-Macário
A alma   se afasta das más divagações, guardando o coração  , para impedir seus membros — os logismos   - pensamentos — de divagarem pelo mundo. ( Hom. 4, P.G. t. 34, c. 473 d).

A base verdadeira da euche   - oração é esta: ficar atento a seus logismos - pensamentos e entregar-se à euche - oração numa grande tranqüilidade e paz  , de maneira a não chocar os de fora... O homem   deverá, pois, lançar o agon   - combate aos próprios logismos - pensamentos, trabalhar   a massa   dos logismos - pensamentos maus que o rodeiam, projetar-se para Deus  , não fazer as vontades dos seus logismos - pensamentos mas, ao contrário, fazer com que estes voltem de sua dispersão, separando, dos logismos - pensamentos maus, os naturais. A alma sob o pecado   vai como que através de um rio invadido pelos caniços ou por emaranhados de arbustos e de espinheiros. Quem quer atravessá-los, deve estender as mãos e, penosamente, afastar à força o obstáculo   que o aprisiona. Assim, os logismos - pensamentos do poder echthros - inimigo envolvem a alma com sua ganga. É preciso grande zelo   e extrema prosoche - atenção   de espírito  , para discernir os logismos - pensamentos intrusos do poder echthros - inimigo. ( Hom. 6, 520b ).

O espírito é uma coisa e a alma outra? O soma   - corpo tem diversos membros; diz-se, no entanto: homem. Do mesmo modo, a alma tem vários membros: o espírito, a consciência  , a vontade, os logismos - pensamentos que acusam ou também desculpam ( Rm 2,15 ); mas, tudo isso está unido num mesmo logismos - pensamento  , e os membros da alma constituem o homem interior  . Assim como os olhos do soma - corpo percebem de longe os espinhos  , também o espírito prevê as ciladas do poder echthros - inimigo e previne a alma, cujos olhos são ele. ( Hom. 7, 528b ).

Aqueles que se aproximam do Senhor, devem fazer sua euche - oração num estado   de tranqüilidade e de paz extrema; devem aplicar a prosoche - atenção no Senhor, com katanyxis   - compunção no coração (trabalho interior) e nepsis   - sobriedade de logismos - pensamentos, sem gritos inconvenientes e confusos. ( Hom. 6, 517c ).

O fogo   celeste da Divindade, que os cristãos recebem, nesta vida, no interior do coração — esse fogo que faz o seu trabalho no coração desses cristãos — sai quando da dissolução do soma - corpo, e reajustará os membros decompostos, no dia da anastasis   - ressurreição... Os três jovens lançados na fornalha, por causa   de sua dikaiosyne   - justiça, levavam o fogo divino de Deus dentro de seus logismos - pensamentos, servindo e operando no meio desses logismos - pensamentos. E o fogo manifestou-se fora deles e conteve o fogo sensível  . Da mesma forma, as almas fiéis recebem secretamente, nesta vida, o fogo divino e celeste, e é esse fogo que forma a imagem celeste na humanidade... ( Hom. 11, ibid. 544 ).

Vosso coração é um sepulcro. Quando o Príncipe do mal e seus anjos   nele se alojam; quando os poderes de Satã passeiam no vosso espírito e nos vossos logismos - pensamentos; não estais mortos para Deus?... O Senhor libera o espírito para permitir que ande sem dificuldade   e com alegria  , na atmosfera divina. ( Ibid. 552 ).

O pecado tem o poder e a insolência   de entrar no coração. Porque os logismos - pensamentos não vêm de fora, mas de dentro do coração. O Apóstolo   disse: «Quero que os homens orem em todo lugar, erguendo mães santas, sem ira   e sem logismos - pensamentos maus» ( 1Tm 2,8 ). Ora, «é do coração que procedem os logismos - pensamentos maus...» segundo o Evangelho ( Mt   15,19 ). Aproxima-te, portanto, da euche - oração; inspeciona teu coração e teu espírito e toma a resolução de fazer subir   para Deus uma euche - oração pura. Vigia sobretudo para que não haja obstáculo, para que tua euche - oração seja pura, que teu espírito se ocupe do Senhor, tanto quanto do amanho o lavrador   e da mulher o marido... se dobras os joelhos para orar e se outros não vêm roubar teus logismos - pensamentos. ( Hom. 15, loc. cit. 584c ).

A graça   imprime no coração dos filhos da luz as leis do Espírito. Eles não devem, pois, buscar sua segurança nas Escrituras   feitas com tinta, pois a graça de Deus imprime também as leis do Espírito e os mistérios celestes, nas tábuas do coração. O coração efetivamente comanda e rege todo o soma - corpo. A graça, uma vez que tenha conquistado as pastagens do coração, reina sobre todos os membros e logismos - pensamentos. Pois é nele que estão o espírito e todos os logismos - pensamentos da alma, e sua elpis   - esperança. Através dele, a graça passa para todos os membros do soma - corpo. Com os filhos das trevas acontece o mesmo: o pecado reina sobre seu coração e passa por todos os seus membros... ‘ Como a água através de um canal, assim passa o pecado através de coração e de seus logismos - pensamentos. Os que o negam terão, para julgá-los e zombar deles, a vitória futura de seu pecado. Pois, o mal toma o cuidado de esconder-se no espírito do homem, para escapar   dele. ( Hom. 15, 589 a ).

Todos os animais   estão em poder de quem mantém as rédeas. Assim também o coração tem inúmeros logismos - pensamentos naturais unidos a ele. O espírito e a consciência é que corrigem e dirigem o coração, despertam os logismos - pensamentos naturais que nele se agitam. Porque a alma tem muitos membros; embora seja una. ( Hom. 15, 600a ).

O mal realiza sua obra no coração, sugerindo-lhe logismos - pensamentos maus, impedindo o espírito de orar com katharotes - pureza   e acorrentando-o a este século. Estendeu-se por sobre as almas, penetrou até a medula dos ossos. Assim como Satã está no ar, sem que Deus tenha que sofrer   nada por isso, também o pecado está na alma e, no entanto, a graça de Deus ali está ao mesmo tempo, sem sofrer, por causa dele, nenhum prejuízo. ( Hom. 16, 617a ).

A perfeição não consiste em abster-se do mal; consiste em revestir-se de um espírito humilhado, em fazer morrer   a serpente   que se aninha e pratica c homicídio abaixo mesmo do espírito, nos tesouros e nos celeiros da alma, ainda mais profundamente que os logismos - pensamentos. Porque o coração é um abismo  ... ( Hom. 18, 633b ).

Os mercadores reúnem, de toda a terra  , fontes de beneficie terrestre. Assim, os cristãos, através do conjunto   das virtudes e pelo poder do Espírito Santo, reúnem, de toda a terra, os logismos - pensamentos dispersos de seus corações. É o mais belo e o mais verdadeiro dos negócios... O poder do Espírito divino é capaz de reunir o coração disperso por toda a terra, no amor do Senhor, para transportar-lhe o logismos - pensamento pelo mundo eterno. ( Hom. 24, 66la).

Nossa euche - oração não deve começar por nenhuma convenção   nem hábito  : atitude corporal, silêncio, genuflexão. Devemos vigiar   com atenciosa nepsis - sobriedade o nosso espírito, esperando o momento em que Deus se apresente, visite a alma através de todas as suas passagens, atalhos e sentidos. Só é preciso calar-se, gritar e orar com clamores, quando o espírito está solidamente ligado a Deus. A alma deve despojar-se inteiramente, para a súplica e o amor de Cristo  , sem distração, nem divagação de logismos - pensamentos. (Hom. 33, 1Mb).

A soma de toda atividade   boa, a mais alta de nossas obras, é a hypomone - perseverança na euche - oração. Através dela podemos, cada dia, adquirir todas as virtudes, pedindo-as a Deus. Ela alcança, para os que são julgados dignos, a comunhão com a Bondade divina, com a operação do Espírito; a união   do sentido, espiritual com o Senhor, num indescritível amor. Quem impõe a si mesmo  , todos os dias, a hypomone - perseverança na euche - oração, é consumido pelo amor espiritual de um desejo divino; é inflamado por uma ardente melancolia de Deus e recebe a graça espiritual da perfeição santificante. ( Hom. 40, 764b ).

Cada um de nós deve verificar se encontrou o tesouro   em seu vaso de argila; só se revestiu da púrpura do espírito; se viu o rei, se descansou bem perto dele; ou se, nesse momento, não se move nas moradas mais exteriores. Pois a alma tem grande número   de membros e grande profundidade. O pecado, nela penetrando, apoderou-se de todos os seus membros e das pastagens do coração. Quando o homem se põe à procura da graça, esta vem até ele e se apossa talvez de dois   membros da alma.

Quem tem pouca experiência, ao ser assim consolado pela graça, pensa que ela se apoderou de todos os membros da alma e que o pecado foi extirpado. Ora, a maioria continua sob o domínio   do pecado e apenas uma pequena parte sob o da graça; mas, na sua ignorância, ele se deixa surpreender. ( Hom. 50, 820c ).

Dizia ainda isto: o espírito que se afasta da mneme   Theou - lembrança de Deus, cai na ira ou na gastrimargia - cobiça. A uma chamava bestial e à outra diabólica. Como eu lhe replicasse, espantado de que o espírito do homem pudesse estar incessantemente com Deus, disse-me: em todo logismos - pensamento e praxis   - ação pela qual a alma presta culto a Deus, ela está com Deus ( p. 41 ).

O monge   deve seu nome, em primeiro lugar, ao fato de ser só ( monos ), pois abstém-se de mulher e renuncia ao mundo, por dentro e por fora: por fora, renunciando à matéria e às coisas do mundo; per dentro, renunciando a suas próprias representações, impedindo os logismos - pensamentos das preocupações mundanas. É chamado monge, em segundo lugar, porque ora a Deus com uma euche - oração ininterrupta, para purificar o espírito dos logismos - pensamentos numerosos e contrários  ; para que seu espírito se torne monge, em si mesmo, e sozinho diante do verdadeiro Deus, não admitindo os logismos - pensamentos do mal, permanecendo puro em qualquer tempo e íntegro diante de Deus ( p. 44 ).

É preciso livrar o espírito de toda divagação, para impedi-lo de se deixar perturbar pelos logismos - pensamentos. Na ausência   dessa libertação, ele ora em vão. O espírito divaga em torno desses objetos, parece orar, mas sua euche - oração não sobe para seu Deus. Se ele não faz uma euche - oração pura, acompanhada de plena plerophoria - certeza da pistis   - fé, Deus não a acolhe ( p. 45 ).

A lei escrita conta muitos mistérios, de forma velada. O monge que se entrega à euche - oração e a uma conversa ininterrupta com Deus, encontra-os; e a graça lhe mostra mistérios mais terríveis que os da Escritura. Através da anagnosis   - leitura da lei escrita, não se pode realizar nada de comparável ao que o culto de Deus faz realizar-se. Pois, nele, tudo está realizado. Aquele que o escolheu, não tem mais necessidade   da anagnosis - leitura das Escrituras. Ele sabe que tudo se consuma na euche - oração.


Ver online : Philokalia