Página inicial > Medievo - Renascença > Hesiquio Batos Centuria 1

Hesiquio Batos Centuria 1

terça-feira 29 de março de 2022

      

Textos sobre a sobriedade   e a oração, para a salvação da alma  
1. A nepsis - sobriedade é um método espiritual que, com a ajuda   de Deus   e mediante uma praktike   - prática regular e firme  , liberta-nos inteiramente dos logismos   - pensamentos e palavras apaixonadas, bem como das ações más. Dá um conhecimento seguro do apophasis   - Deus incompreensível e resolve de maneira secreta os divinos e secretos mistérios. Ela cumpre todos os mandamentos do Antigo e do Novo Testamento   e consegue todos os bens da vida futura. A nepsis - sobriedade é, antes de tudo, aquela pureza   do coração   que sua excelência   e sua beleza, ou mais exatamente nossa negligência e nessa desatenção tornaram tão rara entre os monges destes tempos e que Cristo   beatificou: "Bem-aventurados os kardia - corações puros porque verão a Deus" ( Mt 5,8 ). Por essa razão  , ela é de grande valor  . A nepsis - sobriedade guia   o homem   que a pratica com perseverança, numa vida justa e agradável a Deus. É, além disso, uma escada que conduz à theoria   - contemplação; ensina-nos a reger   convenientemente os movimentos das três partes da alma (logistikon   - razão, thymikon - irascível e epithymetikon   - concupiscível), a nepsis - vigiar   com segurança os nossos sentidos; e aumenta, de dia   para dia, as quatro grandes virtudes.

2. Moisés o Grande Legislador, ou melhor o Espírito   Santo, querendo nos mostrar quanto esta virtude é excelente, pura, universal   e nos eleva, e nos ensinar   como é preciso a pôr em ação desde o início, depois a levar à perfeição, disse: "Cuida que não te venha ao coração um logismos - pensamento secreto" ( cf. Dt 15,9 ). Moisés, ou antes, o Espírito Santo, entende que isso é a simples aparição de um objeto mau, em repulsa a Deus, o que os Padres chamam de peirasmos   - sugestão. Oferecida ao coração pelo diabolos   - diabo, logo após ser apresentada à nous - inteligência, é seguida por nossos logismos - pensamentos, que começam então uma conversa apaixonada com ela.

3. A nepsis - sobriedade é o caminho de todas as virtudes e de todos os mandamentos de Deus. Consiste na hesychia - tranquilidade   do coração e num espírito absolutamente   preservado de qualquer phantasia   - imaginação.

4. O cego de nascença não vê a luz do sol  . Assim aquele que não anda na sobriedade e na vigilância não vê em todo sua riqueza   as cintilações da graça   do alto. Não será também liberado das ações, das palavras e dos pensamentos maus e iras de Deus. De tais homens, quando deixam esta vida, não passarão impunemente diante dos príncipes do inferno.

5. A prosoche   - atenção é um coração em permanente repouso   ( hesychia - hesíquia ) de todo logismos - pensamento, que só respira e invoca ininterruptamente o Cristo Jesus Filho   de Deus; que agon   - combate, intrépido, a seu lado, e confessa Aquele que tem poder   de perdoar os pecados. Que a alma, através de uma invocação constante, abrace Cristo, que escruta em segredo os kardia - corações; que ela se aplique em esconder completamente, aos homens, sua alegria   e agon - combate interiores. O diabolos - Maligno não encontra mais passagem por onde introduzir sua malícia   no coração e destruir a praktike - obra perfeita, entre todas.

6. A nepsis - sobriedade é uma sentinela   imóvel   e perseverante do espírito, à porta do coração, para perceber sutilmente os que se apresentam, escutar   suas conversas, espiar as manobras desses echthros - inimigos mortais  ; para reconhecer   a marca   demoníaca que tenta, pela phantasia - imaginação, devastar nosso nous - espírito. Essa praktike - obra, corajosamente conduzida, vai dar-nos, se quisermos, uma experiência muito prudente do agon - combate interior  .

7. O duplo phobos   - temor, os desamparos e as peirasmos - provas pedagógicas que Deus usa conosco têm, como efeito natural, criar uma continuidade   sólida de prosoche - atenção, no espírito do homem que se esforça para obstruir a fonte   dos maus logismos - pensamentos e praxis - ações. É a razão dos desamparos e das peirasmos - tentações inopinadas, enviadas por Deus, para corrigir nossa conduta, principalmente se, depois de provar a doce paz   da prosoche - atenção, caímos na negligência. O esforço incansável gera o hábito  ; este, uma certa continuação da nepsis - sobriedade que, por sua vez, consegue pouco a pouco uma visão direta do agon - combate, seguida da euche   - oração perseverante de Jesus, o suave repouso de um espírito livre de phantasia - imaginação e do estado estabelecido ( NT: ao mesmo tempo   estabelecido por, resultante de, "composto de" Jesus, se se pode dizer assim ) por Jesus.

8. A reflexão que se imobiliza, que invoca o Cristo contra os adversários e que se refugia junto dele, é como uma besta   selvagem cercada por uma matilha de cães e que resiste tal uma fortaleza. Ela prevê de longe em sua inteligência as emboscadas inteligíveis dos inimigos invisíveis. E porque não cessa de invocar contra eles Jesus que dispensa a paz, ela permanece invulnerável.

9. Se tens a experiência, e se te foi dado desde a manhã diante de Deus em no despertar  , mas também de contemplar, sabes o que quero dizer. Senão, seja sóbrio e vigilante, e compreenderás.

10. Os mares são feitos de muita água. O que faz e conforta a sobriedade e a vigilância, a moderação, a profunda hesychia da alma, este abismo   de contemplações extraordinárias e inefáveis, de humildade   consciente, de retidão e de amor, é uma extrema atenção e a oração de Jesus Cristo, sem pensamentos. E isso com fervor e continuidade, e não cedendo jamais ao desencorajamento.

Hesiquio Batos Centuria 1,11-20 - § 11-20; Hesiquio Batos Centuria 1,21-30 - § 21-30; Hesiquio Batos Centuria 1,31-40 - § 31-40; Hesiquio Batos Centuria 1,41-50 - § 41-50; Hesiquio Batos Centuria 1,51-60 - § 51-60; Hesiquio Batos Centuria 1,61-70 - § 61-70; Hesiquio Batos Centuria 1,71-80 - § 71-80; Hesiquio Batos Centuria 1,81-90 - § 81-90; Hesiquio Batos Centuria 1,91-100 - § 91-100