Página inicial > Medievo - Renascença > Padres Prece Atenção

Padres Prece Atenção

terça-feira 29 de março de 2022

    

Tradução da versão francesa da Philokalia  

Sobre a euche   - prece e a prosoche   - atenção  
Todo o esforço do asceta   deve portar sobre este ponto: que a altura da alma   não seja revertida pela sublevação dos prazeres. Como a alma ligada em baixo pelo hedone   - prazer da sarx   - carne poderia tender ainda por um olhar livre para a luz   inteligível à qual é aparentada? Por isto, antes de tudo, é preciso ser temperante: a enkrateia   - temperança guarda em lugar seguro a hagneia   - castidade. A nous - inteligência   que nos guia   não deve consentir em se deixar absorver pelos logismos   - pensamentos impuros. A epimeleia   - vigilância   do homem   interior é, portanto, necessária, se queremos que a nous - inteligência não se perca nas divagações, mas se ligue à meta da glória   de Deus  , a fim de escapar   ao julgamento   do Senhor que diz: “Ai de vós, escribas e fariseus  , hipócritas! pois que sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas interiormente estão cheios de ossos de mortos e de toda a imundícia. (28) Assim também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas interiormente estais cheios de hipocrisia e de iniqüidade.” (Mt   23,27-28 )

Eis porque, pelo coração  , pela palavra e pela praxis   - ação, nos é necessário conduzir um grande e justo agon   - combate, a fim de não receber   em vão a graça   de Deus. Mas assim como a cera é modelada pela arte do escultor, também nosso homem interior   é modelado pelo ensinamento de nosso Senhor Jesus Cristo  . Realizamos então por toda nossa praxis - ação a palavra de Paulo, quando diz: “Não mintais uns aos outros, pois que já vos despistes do velho homem com os seus feitos, E vos vestistes do novo, que se renova para o conhecimento (gnosis   - episteme), segundo a imagem daquele que o criou;” (Col 3:9-10). Ele chama de homem velho todos os nossos pecados e todas as nossas imundices. Revestimos o homem interior, diz ele, em sinal de nova vida até a morte, a fim de ser dignos de dizer em verdade: “Recomendando-nos somente que nos lembrássemos dos pobres, o que também procurei fazer com diligência” (Gal 2:10).

É preciso, portanto, muita prosoche - atenção, muita epimeleia - vigilância para não faltar a nenhum dos deveres dos quais acabamos de falar, quando cumprimos os mandamentos. Pois então não somente seremos privados de uma grande recompensa  , mas cairemos sob o golpe destas temíveis ameaças. Quando o diabolos   - diabo monta suas armadilhas e, com muita violência, envia os logismos - pensamentos como flechas inflamadas, que secreta dele mesmo contra a alma que vive na hesychia e na calma, quando ele a inflama subitamente, quando prolonga indefinidamente e torna indissolúvel a lembrança daquilo que foi uma vez lançado no espírito  , então é preciso escapar a estas armadilhas por uma nepsis - sobriedade e uma prosoche - atenção mais intensa, como um atleta que, pela guarda mais precisa e a rapidez de seu soma - corpo, busca a desfazer os propósitos de seus adversários. Enfim pela euche - oração e a invocação da aliança do Alto, deve conter a guerra e desviar   as flechas. É o que Paulo nos ensinou, quando diz: Tomando sobretudo o escudo da pistis   - fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno” (Eph 6:16).

Logo quando a alma que relaxou o rigor e o ardor da reflexão   (dianoia) se relembra por acaso de tudo que lhe aconteceu, então o pensamento, levado além de todo estudo e ciência para as coisas das ela se lembra e a princípio absorvidos por ela, vai de divagações em divagações maiores, e acaba freqüentemente por cair nos pensamentos (logismos) infames e absurdos. Mas se deve corrigir esta negligência e este estresse da alma por uma tensão mais rigorosa e mais vigilante (nepsis) da reflexão (dianoia); deve-se fazer a alma voltar-se a si mesma e lhe dar a considerar sempre o presente   para aí ver a beleza (kallos  ).

Então oro para que enquanto estais em teu corpo não relaxe teu coração (kardia). Assim como o cultivador não pode jamais estar certo de qualquer fruto   que venha de seu campo  , pois não sabe o que se passará com este fruto antes de guardá-lo em seu celeiro, o homem não pode relaxar seu coração enquanto tem sopro em suas narinas.

É preciso sustentar   um grande combate (agon), ter passado muito tempo em oração (euche), para descobrir a serenidade da reflexão (dianoia), assim como no outro céu, o céu do coração onde habita o Cristo. Se queremos alcançar este estado   da inteligência (nous), há que se guardar de todo pensamento.

Então a inteligência se verá a ela mesma semelhante a uma safira celeste. Pois se ela não está mais alta que todos os pensamentos (logismos) que a atrelam às coisas, a inteligência (nous) não verá jamais nela o lugar de Deus. E ela não será mais alta, se não se despe das paixões (pathos  ) que pelos pensamentos a atrelam às coisas. Ela não superará as paixões a não ser pelas virtudes (arete  ); os simples pensamentos pela contemplação espiritual; e a contemplação ela mesma, quando a luz (phos) aparecer  .