Página inicial > Oriente > Tao Elementos

Tao Elementos

terça-feira 29 de março de 2022

      

Diferentemente dos gregos que falam de "elementos  " para dar-se conta da estrutura   do mundo. Os chineses também falam de "elementos", mas com a conotação de xing, quer dizer de carrefour onde se organiza uma circulação de conduta ordenada. Alguns dizem "fases", ou ainda "movimentos", "agentes"... Trata-se de um andamento, da maneira como se dá este andamento, do qual a vida vai, naturalmente, harmoniosa e regularmente, de maneira fiável e referenciável, à imagem dos planetas que circulam no Céu, sem falta e sem machucar-se. Trata-se da maneira de se conduzir segundo o modelo natural cósmico  .

A doutrina dos wu xing (Cinco   Agentes, Cinco Elementos) se tornou inseparável daquela do Yin-Yang. O nome da escola que domina o período Qin Han (221AC-220DC), e logo a redação ou reescrita de um grande número   de textos clássicos fundamentais.

A alternância Yin-Yang faz aparecer   dois   polos, atrativos um pelo outro, entre os quais a tensão e as trocas formam um terceiro (qi). Aí, no meio, surgem os sopros, em um movimento   infinitamente turbilhonante da potência que produz a vida. Estes sopros, em se difundido e em se especificando, criam aquilo que percebemos como o espaço e o tempo  : as quatro estações (si shi) pelos quais o Céu, circular, faz girar o tempo, os momentos e os quatro pontos cardeais (si fang) pelos quais a terra  , quadrada, estrutura o espaço, os lugares. Espaço e tempo são somente concentrações de sopros diferenciados, mas que se correspondem. A reunião ao redor de um centro  , permitindo a permutação, caracteriza o número Cinco (wu), os Agentes. As potências, que se difundiam segundo quatro qualificações do espaço e do tempo, se organizam e trocam seus influxos. A interação   se opera pela mediação de um quinto termo, que aparece como um centro, uma passagem, um carrefour. Não é, no sentido próprio  , nem uma estação (shi), nem uma direção   cardeal (fang); é o deslizamento de um período de tempo a outro, a região que permite a passagem de uma porção do espaço a outra.

  • É também verdadeiro considerar que massas diferentemente orientadas ganham orientes específicos, assim como afirmar   que pontos cardeais determinados atraem e assimilam massas ainda imperfeitamente determinadas.
  • É a interação, a possibilidade de permutação de sopros de qualidades diferentes que dá vida aos seres e os mantém em vida. No mundo que conhecemos, toda vida é conduzida pelo número Cinco, por esta razão  .

A atividade   que se desdobra entre céu e terra — e que é aquela dos vivos produzidos pelo céu/terra — opera segundo cinco modos  , dando a cada uma das produções da Terra seu caráter próprio, suas qualidades naturais, seus efeitos, papeis e funções no conjunto   dos dez mil seres (wan wu). Os Cinco Agentes (wu xing) representam cinco maneiras pelas quais a terra modula os sopros que recebe do céu. Não há nem menos nem mais. O céu põe em movimento (xing) os sopros; a Terra responde a isto em lhes permitindo tomar dez mil formas.

A qualidade   dos sopros que formam a primavera nas estações, o leste nas direções cardeais, faz brotar o efeito de fibra que se denomina agente   Madeira   (mu). Da mesma forma para o verão, o sul e o agente Fogo   (huo); o outono, o oeste e o agente Metal (jinn  ); o inverno, o norte e o agente Água (shui).

  • O quinto Agente, é a terra (tu). Permite as trocas incessantes, como no cruzamento dos caminhos, em correspondência com uma quinta estação denominada "verão que se prolonga" (chang xia), curto período de tempo permitindo a passagem de uma ano a outro, estações quentes (yang) a estações frias (yin), de uma estação a outra. Ao quinto Agente corresponde, de um ponto de vista espacial, a região central (zhong yang). Não é uma direção cardeal (fang), mas permite orientar a partir de um centro; serve de base giratória, de rele’. A qualidade de seus sopros, de sua ação, de sua natureza é uma particularização do que se denomina terra (di). Deve-se cuidadosamente distinguir   o que se denomina terra (di) como pólo contraposto ao céu, na expressão   céu/terra (tian di), e a terra (tu), o terreiro, como quinto Agente, centro de reunião e de difusão dos outros quatro.

É assim que os cinco Agentes são necessários à vida, enquanto seu enquadramento se faz por quatro estações e quatro pontos cardeais. Embora estes Agentes portem nomes de realidades naturais, deve-se concebê-los como "princípios ativos", realidades agentes e emblemáticas, assim como sublinha Marcel Granet (Pensée chinoise).

Todos os seres, segundo os parâmetros compondo seu destino, são marcados mais profundamente, mais estruturalmente, por tal ou tal Agente. O lugar, o período (era dinástica, por exemplo) onde vivem são marcados igualmente por um Agente predominante. Cada um dos múltiplos momentos da vida está soba a influência mais determinante de um Agente (a impetuosidade da vida na infância ou o ardor de uma relação em seu começo será como uma primavera; em correlação com a madeira. Mas a velhice demonstrará efeitos que lembram aqueles do inverno, da água... assim como para cada manhã e cada noite...). Na constituição de um homem  , seus cinco órgãos (wu zang: coração  , pulmão, fígado, baço, rins) representam os cinco movimentos cuja imbricação faz a vida. A medicina   chinesa tradicional repousa sobre a doutrina Yin Yang Wu Xing (Yin-Yang e Cinco Elementos ou Agentes).

Esses sopros diferenciados, esses Agentes que trocam e se influenciam, o fazem segundo normas bem precisas, não inventadas pelos homens, mas descobertas por eles na observação   da natureza, do livre jogo   do céu/terra, produzindo e entretendo os vivos, em mutações perpétuas, mas evoluindo segundo regras fiáveis, imutáveis, repetitivas, que a terra aceita do céu, que ela materializa e formaliza para a vida.

As duas principais modalidades das relações de sucessão entre os wu xing (Cinco Agentes) são conhecidas sob os nomes de ciclo de engendramento (sheng) e ciclo de dominação (ke). Na ordem do engendramento, da madeira provém o fogo, do fogo a terra, da terra o metal, do metal a água, da água a madeira... A ordem de dominação é: madeira, terra, água, fogo, metal, madeira...

Não faltam comentários para explicar que a água, que impregna e que desce das profundezas, pode engendrar a madeira permitindo à seiva ser produzida, mas pode também dominar o fogo, cuja chama queima e sobe... O que é importante, é o ritmo que é assim dado pela sucessão incessante dos xing (Agentes): cada um conhece seu acontecimento, sua expansão e seu declínio pois dá lugar àquele cuja potência está apta a vir dominá-lo. ë assim que se cria o equilíbrio do desdobramento da vida, como um desiquilíbrio perpetuamente compensado , à imagem do andamento (xing). Equilíbrio quanto mais sutil que um Agente, quando ele cede a preeminência àquele que o domina (ciclo ke), teve o tempo de vivificar (ciclo sheng) o Agente que, mais tarde, virá dominar seu vencedor (assim a madeira é dominada pelo metal, mas engendra, vivfica o fogo, que domina o metal).

Traduz-se comumente xing por Agentes, fases, agentes, movimentos... Tantos termos que seriam impotentes a dar a riqueza   do ideograma, se cada um deles não incluísse o que significam os outros.

O que importa, é que a vida apareça como estrutura organizada por Cinco e se desdobrando segundo um movimento cuja grande alternância Yin-Yang é ela mesma detalhada pela dominação sucessiva de cinco qualidades, polaridades de sopros. O contínuo   espaço-tempo, campo   de exercício da vida, seria incompreensível sem uma organização como essa que expões a visão   chinesa da Unidade   distribuindo sua Virtude   segundo os Cinco Agentes (wu xing).
Needham Cinco Elementos - CINCO ELEMENTOS

  • A Escola de Naturalistas

Henry Normand: Normand Cinco Elementos - OS CINCO ELEMENTOS