Página inicial > Modernidade > Abellio (SA) – A deidade enquanto senário-septenário

La structure absolue

Abellio (SA) – A deidade enquanto senário-septenário

CHAPITRE VIII - Le couple Père-Mère et la procession du Fils

domingo 12 de setembro de 2021, por Cardoso de Castro

      

ABELLIO  , Raymond. La structure absolue. Paris: Gallimard, 1965

§ XXVI. LA DÉITÉ EN TANT QUE SÉNAIRE - SEPTÉNAIRE

      

O Indeterminado   ou deidade  , enquanto Ser absoluto, envelopa o senário-septenário primordial. Este é formado pela cruz equatorial do Pai   e da Mãe, que, por sua rotação eterna, projeta o Filho sobre o eixo   vertical bipolar de sua encarnação e de sua assunção igualmente eternas, que constituem juntas a elevação da cruz.

O problema do Indeterminado, chamado Supremo Brahman   pelos hindus, Tem («aquele que não existe em forma») pelos egípcios, Ain-Soph pelos judeus  , deidade de Deus   por Mestre Eckhart   e Ungrund por Jacob Boehme  , se confunde com aquele da infinidade dos possíveis, e a suprema contingência aí aparece como resolutória de uma determinação absoluta. No entanto, o Indeterminado não coloca somente enquanto enigma   conceitual ou ontológica, mas enquanto realidade vivida a cada instante   no presente   de cada existência e ato perpetuamente voluntário  , intuição   dramática e permanente de um limite onde toda separação   se extingue e sobre a qual, no momento em que a necessidade   de definição se exaspera, toda definição se torna inútil. No homem  , o Indeterminado se oferece a uma adesão sem provas e sem sacerdotes  , ele é a presença em ato da contemplação onde aquele que contempla e aquele que é contemplado   não fazem senão um  . Toda contemplação resulta de uma dupla démarche e resolve uma contradição que procede da essência mesma da Indeterminação: ela é ao mesmo tempo aceitação da distância e abolição da distância, quer dizer ato único de transfiguração desta distância mesma. Ela opera a transferência simultânea e recíproca de uma negatividade e de uma positividade, mas esta transferência em si mesma é plenamente positiva.