Página inicial > Medievo - Renascença > IBN ARABI > Asín Palacios: Ibn Arabi

El Islam cristianizado

Asín Palacios: Ibn Arabi

Apresentação

terça-feira 29 de março de 2022, por Cardoso de Castro

    

ASÍN PALACIOS, Miguel. El Islam cristianizado. Estudio del «sufismo» a través de las obras de Abenarabi de Murcia. Hiperión, Madrid, 1981.

    
  • Introdução
    • 1. O título do livro e os problemas que sugere
    • 2. A origem   autóctone do sufismo, segundo Massignon
    • 3. O sufismo, imitação   cristã
    • 4. A solução   eclética do problema histórico
    • 5. Sufismo ortodoxo e heterodoxo
    • 6. O problema psicológico: existiu no Islã uma espiritualidade realmente análoga à cristã?
    • 7. Os problemas teológicos: pode se dar no Islã a graça   gratum faciens?
    • 8. Pode se dar no Islã os carismas ou graças gratis datas?
    • 9. Objeção e resposta  
    • 10. A solução do problema à luz da teologia católica
    • 11. Plano deste estudo
  • Parte I A vida de Abenarabi  
    • Capítulo I Os anos juvenis
    • Capítulo II Peregrinações pela Espanha e África
      • Sua vocação à vida peregrinante
      • Escreve em Móron sua Tadbirat
      • Sua estadia em Marchena, Córdoba e Cabrafigo
      • Passagem em Bugía
      • Suas relações com Abumedín
      • Segunda aparição do Jadir em Tunis
      • Estadia em Tremecen
      • Regresso a Sevilha, passando por Tarifa
      • Retorno a Africa
      • Estadia em Fez
      • Retorno a Sevilha e redação do Irxad
      • Segunda estada em Fez: seus primeiros êxtases; suas conferências místicas
      • Terceira aparição do Jadir
      • Regresso a Espanha, passando por Granada
      • Estadia em Murcia e Almeria
      • Redação de seu Mawaqui
    • Capítulo III Peregrinações pelo Oriente
      • A visão   extática de Marrocos
      • Ibn Arabi vai para o Oriente
      • Visões e extases em Bugia e Tunis
      • Redação do Inxá
      • Estadia em Meca: redação do Turchuman, Mixcat e Al-Dorra
      • Viagens a Bagda e Mosul
      • Ibn Arabi veste   o hábito   do Jadir
      • Estadia no Egito  : Ibn Arabi acusado de panteísmo
      • Viagem   a Konia: relações com Caicaus I; redação do Maxahid e o Anwar
      • Peregrinações pela Anatólia
      • Estadia em Bagda
      • Viagem a Meca: redação do Dzajair
      • Peregrinação a Medina e Jerusalém
      • Ibn Arabi profetiza a tomada de Antióquia por Caicaus I
      • Estadia em Alepo
    • Capítulo IV Os últimos anos
      • A saúde   de Ibn Arabi se enfraquece
      • Fixa sua residência em Damasco
      • Publica o Fusus  , o Diwan e o Futuha; ocasião, assunto e caráter destes livros
      • Outras obras de Ibn Arabi
      • Seus últimos dias
      • Sua morte
      • Breve notícia sobre seus filhos
      • O sepulcro de Ibn Arabi na Salihia de Damasco
      • Influência de Ibna Arabi no Islã oreintal, ortodoxo e heterodoxo
      • Ibn Arabi, Lulio e Dante  
  • Parte II Doutrina   espiritual de Ibn Arabi
    • Capítulo I Fontes, método e plano
      • Catálogo das fontes elegidas
      • Critério para eleição
      • Conteúdo e caráter peculiar de cada uma
      • Método e plano: doutrina espiritual de Ibn arabi, separada de sua documentação
      • Seu cotejo com a espiritualidade cristã ante-islâmica
      • Duplo objeto perseguido
    • Capítulo II Os princípios básicos da espiritualidade
      • Ascética e mística
      • Sua existência no Islã, como disciplinas autônomas
      • Em que se distinguem uma da outra, segundo Ibn Arabi
      • Seu conteúdo respectivo
      • Suas relações mútuas
      • A graça, princípio da espiritualidade
      • Seu conceito e necessidade  
      • Suas espécies
      • Seus efeitos
    • Capítulo III Os distintos gêneros da vida espiritual
      • Os religiosos seculares
      • A via eremítica e a conventual
      • Suas variedades
      • Monjas e agapetas no Islã
      • Vantagens e inconvenientes da vida solitária e da conventual
      • Indecisão de Ibn Arabi neste problema
      • A regra monástica e sua origem cristã
      • A regra de Ibn Arabi
      • Rica variedade de métodos de vida espiritual no Islã espanhol
      • O mestre de espírito e sua origem cristã
      • Sua necessidade e dotes, segundo Ibn Arabi
    • Capítulo IV A organização do noviciado
      • O noviciado ou profissão e seus precedentes cristãos
      • O rito iniciático, o voto e a adoção do hábito, segundo Ibn Arabi
      • O traje monacal
      • A célula e a clausura
      • A distribuição do tempo
      • as conferências ascéticas
      • O tempo livre
      • A organização econômica
      • A comida
      • O asseio pessoal
      • a obediência ao superior
      • Sua necessidade e qualidades
      • A obediência passiva do noviço, «perinde ac cadaver»
      • A confissão espontânea
      • A comunicação telepática com o mestre
      • O respeito ao mestre
      • Precedentes cristãos
    • Capítulo V O método ascético
      • A vida espiritual, concebida como caminho   e combate  
      • Cinco   condições para o êxito
      • A pureza   de intenção  
      • O bom uso do tempo
      • O abandono da própria vontade
      • A teoria   da purgação ou katharsis
      • Purgação do sentido, do coração   e do espírito
      • A penitência e a mortificação
      • As quatro mortes
      • A ascética purgativa
      • As virtudes monásticas: castidade, abstinência, desnudez do espírito, abnegação e humildade  
      • A caridade fraterna e a vida apostólica
      • As obras de misericórdia  , corporais e espirituais
      • Selo cristão desta doutrina
    • Capítulo VI Os meios para alcançar a perfeição
      • Sua enumeração geral, coincidente com a dos ascetas cristãos
      • O plano de vida ou distribuição do tempo
      • O exame   de consciência  
      • Seu conceito e sua origem cristã
      • Sua prática no Islã oriental
      • Sua introdução no Islã espanhol
      • O exame   particular, aperfeiçoado por Ibn Arabi
      • Coincidência com St. Inácio de Loyola  
      • A presença   de Deus  
      • Coincidência de Ibn Arabi com Santa Teresa de Jesus   e São João da Cruz   neste ponto
      • Análise do sentimento   de presença
      • A presença infusa
      • Cinco espécies de oração  , segundo Ibn Arabi
      • Introdução tardia da oração metódica no ascetismo cristão
      • A oração litúrgica
      • seus precedentes monásticos
      • Método de oração afetiva, segundo Ibn Arabi
      • A meditação metódica no Islã
      • O método de Al Gazzalli
      • a doutrina de Ibn Arabi
      • O exercício da leitura meditada
    • Capítulo VII O canto   religioso
      • Sua prática no monacato cristão
      • Sua adoção pelo Islã oriental
      • Sua introdução tardia no Al Andalus
      • A cena do canto religioso, pintada por Ibn Arabi: os ouvintes, o cantor, as canções, a emoção extática, a partilha do hábito
      • Reprovação deste exercício por Ibn Arabi
      • suas censuras contra o canto religioso «com testemunha»
      • Provável origem destes ritos estranhos ao Islã e ao cristianismo
    • Capítulo VIII A oração de solidão  
      • Sua prática no monacato cristão
      • Sua adoção pelo Islã: o exercício do retiro   espiritual ou iticaf
      • A oração de solidão, segundo Ibn Arabi
      • Seus requisitos prévios de atitude remota
      • O método prático de seu exercçio
      • Provável origem indiano do rito
      • Processo psicológico da oração de solidão
    • Capítulo IX Os estados, as moradas e os carismas
      • Em que diferem e coincidem os estados e as moradas
      • Sua essência comum e sua causa  
      • Teoria das moradas, segundo Ibn Arabi e seus precursores islâmicos
      • Antecedentes cristãos desta teoria
      • O milagre   e o carisma na teologia islâmica
      • Doutrina de Ibn Arabi
      • Carismas exteriores e interiores ou espirituais
      • Teoria de Ibn Arabi sobra a essência, causas ocasional e final e frutos do carisma
      • Explicação naturalista de seu mecanismo
      • Explicação mística
      • Relação harmônica entre as virtudes e os carismas
      • Classificação destes baseada em dita harmonia  : carismas de visão, audição  , elocução, manipulação, sobriedade  , castidade e deambulação
      • Carismas do coração
      • Carismas mistos
      • O voto carismático da morte da vontade
      • Os carismas e a perfeição: atitude de Ibn Arabi, comaprada com a dos alumbrados e a dos místicos da Igreja   católica
      • Os carismas não são a perfeição
      • Os carismas como tentação   ou prova
      • A renúncia   dos carismas
      • Coincidência de Ibn Arabi com a escola carmelita nesta atitude
      • Antecedente cristão de toda doutrina carismática
    • Capítulo X A intuição mística
      • Natureza infusa deste carisma
      • Suas três formas diferentes
      • A revelação: símbolos de seu mecanismo psicológico; seus cinco graus
      • A iluminação  : símbolos de seu processo
      • O símile do pavio e da viva chama, em Ibn Arabi, em Lulio, em Herph e em Osuna
      • Concomitantes psicofisiológicos da iluminação. Seus graus.
      • A contemplação: símbolos de seu processo; seus vários graus.
      • O estado   de contemplação constante e suas três maneiras  
      • Precedentes cristãos desta doutrina
      • suas coincidências com São João da Cruz
    • Capítulo XI O êxtase
      • Natureza infusa deste carisma
      • Análise de seu processo psicológico
      • A inconsciência gradual, efeito do recolhimento
      • A emoção de doçura espiritual e a ligadura dos membros
      • Outros fenômenos patológicos
      • O êxtase não é a perfeição
      • Que há de cristão e de extra-cristão nesta doutrina do êxtase
    • Capítulo XII O discernimento   de espíritos
      • Aparição tardia desta doutrina na mística cristã
      • O discernimento de espíritos no Islã: a doutrina de Al Gazzalli
      • A criteriologia de Ibn Arabi
      • A influência do temperamento
      • Critério baseado no conteúdo e na forma das visões: visões diabólicas, angélicas e divinas
      • Critério baseado na natureza e efeitos do fenômeno místico  : seis normas de discernimento
      • Critério moral
    • Capítulo XIII O amor de Deus
      • Virtudes preparatórias desta sublime morada  
      • Os três momentos graduais do amor: simpatia, dileção, paixão
      • Natureza do amor
      • Suas duas espécies: amor físico e amor espiritual
      • O amor de Deus pela criatura: sua natureza e efeitos
      • O amor do homem   a Deus; suas três espécies: físico, espiritual e misto
      • O amor profano, símbolo do amor divino
      • Origens cristãs deste simbolismo islâmico
      • A psicologia do amor divino, analisada através deste símbolo
      • O amor desinteressado ou platônico a Deus
      • Sua origem cristã
      • Sua introdução no Islã
      • O tema «Não me move, meu Deus para te querer»
    • Capítulo XIV A união   extática
      • Seu duplo conceito: como identificação real e como simples presença imaginativa
      • União incipiente e união consumada
      • Três tipos de união: o raptado, o ajudante e o caminhante
      • O querido de Deus e o que a Deus quer
      • O retorno da união
      • O Profeta  , mediador   da união
      • Gênesis desta teoria
      • Insuficiência do Corão para conceber a união extática
      • O dogma cristão da Encarnação   e seu influxo   em Ibn Arabi
    • Capítulo XV Caracteres da espiritualidade de Ibn Arabi
      • A onda neoplatônica
      • A objetividade das experiências místicas
      • O coeficiente patológico
      • O esoterismo  
      • O sincretismo especulativo não transcende a sua espiritualidade
      • Ibn Arabi e a religião universal  
      • as ondas trinitárias e teândrica
      • Elementos   cristãos de sua espiritualidade
      • Ibn Arabi e a escola carmelita
      • Elementos extra-cristãos
      • Atitude equívoca de Ibn Arabi, explicada por sua dupla formação, espanhola e oriental
      • Ibn Arabi e a escola hispano-africana dos xadilies
      • A mística espanhola do século de ouro e os alumbrados
      • Conclusão
  • Parte III Textos
    • I Tohfa Presente   para a viagem à côrte da santidade  
    • II Amr   A regra taxativa que fixa as condições que devem cumprir aqueles que seguem o caminho de Deus
    • III Tadbirat Política divina no governo do reino humano (extratos)
    • IV Cunh Epístola sobre o que é essencialmente indispensável ao noviço (extratos)
    • V Mawaqui Descida dos astros e ascensões dos místicos (análise e extratos)
    • VI Anwar Tratado das luzes, ou seja, dos mistérios com que favorece Deus ao que entra na solidão
    • VII Fotuhat As revelações de Meca acerca do conhecimento de Deus e do Mundo

Ver online : IBN ARABI