Página inicial > Medievo - Renascença > Philokalia Escritos

Philokalia Escritos

terça-feira 29 de março de 2022

    

Prefácio
Em Nome do Pai   e do Filho e do Espírito Santo  .

A Philokalia   é uma coleção   de escritos dos Padres dos primeiros tempos após a Declaração de Constantino o Grande. Apresenta o caminho   para despertar   a atenção   e a consciência  , e desenvolvê-las; provê meios de obtenção das condições mais rápidas e efetivas para o aprendizado naquilo que os Padres, que alcançaram os níveis mais elevados, denominavam a arte das artes e a ciência das ciências, capaz de conduzir um homem   em direção   a mais alta perfeição aberta para ele. A atual seleção   é retirada da Philokalia a fim de tornar a tarefa mais fácil para a mente   que empreende este aprendizado. A seleção representa as linhas essenciais do aprendizado, e a prática de séculos deram a ela um valor   definitivo.

A forma mais efetiva daquela arte das artes e ciência das ciências é revelada como a prática da Prece   de Jesus  , para usar seu nome tradicional.

A condição primordial e a necessidade   absoluta é conhecer a si mesmo  . Para ganhar este conhecimento o iniciante deve aprender   a estar vivo para as múltiplas facetas e possibilidades do ego; e deve eliminar todos os obstáculos, pessoais assim como externos, para adquirir as melhores condições de sucesso. Silêncio   e quietude são indispensáveis para a concentração.

A prática da Prece de Jesus é o tradicional cumprimento da injunção do Apóstolo Paulo   para «orar sempre»; nada tem a ver com o misticismo   o qual é uma herança do paganismo ancestral. Este último apareceu nos primeiros dois   séculos no movimento   Gnóstico, mas foi imediatamente rejeitado pela clara visão   dos Padres, e não progrediu de modo significativo na Cristandade oriental.

Os ataques feitos contra Gregório Palamas por Barlaam da Calabria e outros, e as distorções resultantes que ganharam curso no Ocidente, criaram uma falsa imagem da prática da Prece de Jesus.

Consequentemente, o Ocidente não se deu conta que esta prática data do início da era cristã e foi mantida inalterada através dos séculos no Oriente. Dá acesso até mesmo a mais alta realização  , como será visto pelos escritos nesta seleção.

A prática da Prece de Jesus oferece a ajuda   e o suporte mais eficazes para o desenvolvimento da consciência daqueles que consideram sábio   se submeter a tal aprendizado. A Philokalia é o fio condutor que guia o caminho através das agruras, vicissitudes e penúrias espirituais da vida moderna; é o poder mais ativo capaz de mostrar o caminho ao homem, e conduzi-lo ao sucesso neste fazer.

As fundações Ortodoxas são: as Escrituras   e as tradições, algumas orais, e algumas registradas nos escritos dos Padres, que pertenciam ao período das mais perfeitas realizações da consciência Cristã, e aos séculos que seguiram este período.

A Philokalia grega foi compilada no século XVIII por Macário de Corinto (1731-1805) e Nicodemos Hagiorita   - Nicodemo da Montanha   Sagrada) (1748?-1809) e publicada inicialmente em Veneza em 1782. è uma seleção de escritos dos homens santos que alcançaram o topo da mais alta espiritualidade. Foi traduzida em eslavo sob o nome de Dobrotolubiye por Paissy Velichkovsky (d. 1794), um monge   que visitou o Monte Athos e trabalho   em seguida da Moldavia. Esta tradução teve uma importância fundamental no renascimento do monasticismo e na prática da Prece de Jesus na Rússia desde o início do século XIX. Mais tarde, a Philokalia foi traduzida para o russo pelo Bispo Teofano o Recluso   (d. 1894), cujo texto foi utilizado para esta versão em inglês.

Embora a Philokalia original consista de textos gregos, o texto russo tem um valor próprio, justificando a tradução para inglês, devido à compreensão espiritual de Teofano o Recluso e ao período no qual ele viveu.

Como todas as tentativas de alcançar um nível espiritual, as práticas descritas requerem o cuidado, a atenção, e a constante vigília de um homem, para evitar os perigos reais e insuspeitos de tentar algo a sua maneira; a falta de líderes espirituais em nossos dias necessita o estudo constante destes escritos sagrados a fim de seguir sem danos este caminho maravilhoso da arte das artes e ciência das ciências; as condições especiais que permitem esperar algum sucesso são humildade   genuína, sinceridade, persistência, pureza  ...

Inacessível à concepção humana é a inexpressável gloriosa Majestade do muitíssimo santo, sublime Sacramentos e Revelações na terra   da Encarnação   Divina e supremo Holocausto de Amor de nosso celestial Salvador   e Deus   Jesus Cristo. Eles abrem para nós uma via para as possibilidades que não são desta terra, formando, purificando e desenvolvendo a parte invisível de nosso ser, ajudando-nos para a Salvação.

Quando a consciência humana começa a ser viva às questões Quem sou   eu? De onde venho? A onde vou? então surge a possibilidade de tomar e seguir o estreito, longo e bendito   caminho para a sabedoria  .

Uma a uma as circunstâncias   mostram que nossa capacidade individual é insuficiente, a Suprema Ajuda é vitalmente necessária. Os obstáculos que se levantam são inúmeros e multiformes, de modo que nos conduzirão, se possível, em uma falsa direção e nos farão perder de vista até a meta maior.

Estes escritos dos Padres, que foram inspirados, definem em grande parte as dificuldades e nos ensinam como vencê-las e dominá-las. Para facilitar a preparação do aprendizado, os Padres deram orientações e conselhos úteis.

Os dois maiores mandamentos incluem a absoluta necessidade, o dever  , de Amor, que para aqueles praticando a Prece é mais do que essencial. Se o Caminho é tomado e seguido com espírito de genuíno Amor, irrevogável autonegação e humildade, existe uma grande chance de realizações bem sucedidas nesta vida, dirigindo imperceptivelmente ao futuro distante.

Estes santos padres foram da Igreja   Cristã do primeiro milênio e seus ensinamentos, instruções e assistências, estão acessíveis apenas à luz da Cristandade primordial e genuína, destituída de quaisquer considerações, adições e alterações humanas, na integridade e pureza dos tempos dos santos Apóstolos.

Monte Athos, maio de 1951


Extratos:
  • Teofano Dobrotolubiye - Introdução à Dobrotolubiye
  • Niceforo o Solitario - NICÉFORO O SOLITÁRIO
  • Gregorio do Sinai - GREGÓRIO DO SINAI
  • Symeon   Novo Teologo - SIMEÃO O NOVO TEÓLOGO
  • Callisto Xanthopoulos   - MONGES CALISTO E INÁCIO
  • Hesiquio Batos - HESÍQUIO DE JERUSALÉM
  • FILOTEU DO SINAI  
  • Barsanufio e João de Gaza - BARSANUFIO E JOÃO DE GAZA
  • Teoleptos da Filadelfia   - TEOLEPTOS DA FILADÉLFIA
  • Abade Filemão - ABADE FILEMÃO

Ver online : Philokalia