Página inicial > Arte e Simbolismo > Realidade

Realidade

segunda-feira 28 de março de 2022

BÍBLIA
Paul Nothomb  : Excertos de ÇA OU L’HISTOIRE DE LA POMME RACONTÉE AUX ADULTES

Se a Criação na Bíblia   é a obra de Deus, Adão aí contribui ou a completa, em a existência - fazendo existir. Temos um exemplo chocante no relato quando do episódio da denominação dos animais. É dito que Deus "concebeu" "retirado da adama", como no caso de Adão, salvo que desta vez não é questão de afar ("Pó") que caracteriza o Homem Um, e múltiplo todos os animal - animais dos campos e os pássaro - pássaros do céu, para ver como Adão vai nome - nomear cada um deles. Até aí, embora "concebidos" por Deus não existem, o texto escamoteia o pronome pessoal os concernindo, eles não são, se ouso dizer, senão virtuais (Gen 2,19). É a descoberta por Adão do poder da palavra - poder das palavras, da linguagem que lhe é própria e que recebeu com sua "sou - consciência de existir" (Gen 2,7) mas da qual se serve pela primeira vez como "linguagem - a ajuda em face dele" que Deus lhe anunciou e que não é a "Eva - mulher" da tradição e da maçã - estória da maçã contada às crianças. É a palavra, o noema - pensamento conceitual que lhe permite "projeção - inventar" o mundo ao redor dele, mas que não é suficiente para romper sua solidão vis a vis dos outros "ele mesmo" que o cercam.

"Mas para Adão ele não achou ajuda em face dele" (Gen 2,20). Quem não encontrou ajuda em face dele, quer dizer linguagem - linguagem comum? Adão. Há portanto um outro Adão. Há um número indeterminado, infinito mesmo posto que ele é "um-muitos - Um e múltiplo".

O homem não vê, não conhece o mundo da criação - mundo criado por Deus. Ele não vê, não conhece senão as representação - representações que lhe dá seu entendimento. É o que se chama a realidade, a "realidade intuitiva" que é por definição subjetividade - subjetiva. E não objetiva. Obra do homem. Do ponto de vista da cronologia, é este que tem razão, e não o Relato dos Seis Dias nem a evolucionismo - teoria da evolução darwiniana, que postulam que a realidade existe fora do homem. Se ela existe não é a nossa, e não podemos senão imaginá-la. Mas como não podemos a imaginar, senão através de nossas percepções, nosso entendimento e nossas representações, ela disto não difere exteriormente.

Todavia, no Relato dos Seis Dias, que parece recontar uma cosmogonia "objetiva", sua primeira palavra — o primeiro substantivo da Bíblia   inteira é "Bereshit - cabeça" (traduzido por princípio). É na "cabeça" do homem que isso começa em realidade, parece advertir a Bíblia   desde sua primeira palavra.

O "Isto" não é a Queda do mundo divino no mundo humano. É a Queda do mundo de afar - Adão pó no mundo de animal - Adão animal. Nada sabemos do mundo divino.


FILOSOFIA Filosofia Realidade - REALIDADE SEGUNDO A FILOSOFIA

Anthony Damiani: Damiani Realidade - REALIDADE


PERENIALISTAS Pierre Gordon  : Gordon Primitivos   - A REVELAÇÃO PRIMITIVA

Contrariamente ao universo do Espaço-Tempo, que é aquele das oposições - contradições, do Devir, e da Dialética, o universo do ser e do Real é aquele da unidade, da identidade, e da Lógica. Não existe, entre os dois, continuidade. Um hiato os separa. Passar de um ao outro, é dar um salto. Tomamos emprestado a Schelling  , para designar este salto, a expressão salto dialético; e o problema crucial é indicar porque um abismo separa assim o Dasein - universo humano do ser - universo do ser. Não há, no entanto, dois universos distintos, mas um só e único cosmo, onde um é a desfiguração momentânea do outro, desfiguração realizada, veremos por qual razão, pelo pensamento do homem. É nossa mente que constitui a ligação entre os dois cosmos. O cosmo humano, enquanto não se identifica com aquele do ser, é inteiramente nossa obra.

Decorre ainda mais que o cosmo do ser é um cosmo transcendente, posto que o cosmo humano, em dele procedendo, e não possuindo outra realidade que sua fonte, não permite nem conhecê-lo em sua essência própria, nem, menos ainda, alcançá-lo. De resto, não menos é, simultaneamente, um cosmo imanente ao universo fenomenal, posto que, totalmente inacessível que é, dele forma o substrato, e dele é o coração mesmo.

Frithjof Schuon  : Schuon Esoterismo Principio Via - O ESOTERISMO COMO PRINCÍPIO E COMO VIA

A objetividade é a perfeita adaptação da inteligência à realidade objetiva. A interioridade é a concentração perseverante da vontade nesse "Interior" que, segundo a palavra de Cristo, coincide com o coração, cuja porta convém trancar após se ter entrado e que dá acesso ao "reino de Deus", que está efetivamente "dentro de vós".
No sentido elementar da palavra, a fé é o nosso assentimento a uma verdade que nos suplanta. Mas, espiritualmente falando, é o nosso assentimento, não aos conceitos transcendentes, mas às realidades imanentes ou, simplesmente, à Realidade; essa Realidade é a nossa própria substância.

Jean Robin: Robin Realidade - REALIDADE


TAO Wei Wu Wei  : Wei Wu Wei   Realidade e Manifestação I - REALIDADE E MANIFESTAÇÃO

Yung-chia Ta-shih: UMA ÚNICA REALIDADE


SUFISMO Toshihiko Izutsu  : SONHO E REALIDADE