Página inicial > Imaginal > dikaiosyne

dikaiosyne

segunda-feira 28 de março de 2022

    
EVANGELHO DE JESUS  :
  • Bem-aventurados - BEATITUDES:
    • Fome e Sede - BEM-AVENTURADOS OS QUE TÊM FOME E SEDE DE JUSTIÇA
    • Perseguidos - BEM-AVENTURADOS OS QUE SOFREM PERSEGUIÇÃO POR CAUSA   DA JUSTIÇA.
  • Buscai primeiro o Reino de Deus   - BUSCAI PRIMEIRO O REINO DE DEUS  
    DICIONÁRIO TEOLÓGICO DO NOVO TESTAMENTO  , COENEN, BEYREUTHER, BIETENHARD dikaiosyné = justiça; díkaios = justo; dikaióô = justificar, reabilitar; dikaíoma = requisito jurídico, precepto legal; dikaíósis = justificação, reabilitação.
    Filosofia Antiga António Caeiro  : A ARETE   COMO POSSIBILIDADE EXTREMA DO HUMANO A excelência (arete), enquanto justiça justificada (dikaiosyne  ), é a possibilidade única a escolher, quando nos encontramos na situação   destruidora e perversa (kakia  ) provocada pela presença   do desejo de prazer (epithymia   - hedones epithymia) na nossa existência.
    Cristologia EL JUSTO Y SU GENERACIÓN

Mestre Eckhart  : ES6 - SERMÃO VI
RETO  , RETIDÃO, JUSTIÇA (RECHT, GERECHTIGKEIT) (Recht: reto, justo, exato; Gerechtigkeit. retidão, justiça)

Justiça (Gerechtigkeit) diz respeito à retidão, pois contém a palavra recht, que significa reto, direito, no sentido de ereto. Portanto, sem curvas, torturas e torneios, sem desvios, sem senões e titubeios, de alguém que está aberto na fidelidade da sua identidade   ao que é da identidade do outro. O justo é quem sabe corresponder à identidade do outro, plenamente, deixando-o ser. Essa conotação da precisão na fidelidade da identidade sua e do outro, faz-nos entender o reto como justo, afeito à precisão da medida própria de cada ente  . Ser reto, ereto, conota o estar de pé, cabeça   erguida, não na empáfia da pretensão orgulhosa, mas no erguer-se, no identificar-se com, no levantar-se a partir da sua nascividade, da sua natureza. Quem é natural assim é o filho  , livre, com o direito à herança, que se move no clã como quem está em casa  , e não como escravo  , encurvado debaixo de um poder a ele inadequado, imposto de fora. O homem   justo, isto é, reto, ereto, está na medida verdadeira, isto é, ajustada na identidade do seu ser. E o ser do homem, na sua essência é igualdade com Deus, ser filho no Filho de Deus  , na filiação divina. Estar solto, livre, sem nada, nada tendo nem acima nem abaixo, nem à direita nem à esquerda, estar assim à vontade, em casa, no ser filho de Deus é a liberdade. Esse modo de ser livre é a retidão, a Gerechtigkeit, a justiça.

Raimundo Lulio  : Lulio Justitia - JUSTIÇA


Perenialistas Frithjof Schuon  : Schuon Esoterismo Principio Via - O ESOTERISMO   COMO PRINCÍPIO E COMO VIA Poderíamos acrescentar aqui que a qualidade   da razão   é a justiça, que é objetiva; a da imaginação   é a vigilância  , que é prospectiva; e a da memória é a gratidão  , que é retrospectiva. A injustiça é uma provação  , mas a provação não é uma injustiça. As injustiças vêm dos homens, ao passo que as provações vêm de Deus. Aquilo que, da parte dos homens, é injustiça e, consequentemente, mal, é provação e destino da parte de Deus. Temos o direito ou, eventualmente, o dever   de combater esse mal, mas devemos nos resignar à provação e aceitar   o destino. Isso significa que é preciso combinar as duas atitudes, considerando que toda injustiça que sofremos da parte dos homens é, ao mesmo tempo, uma provação que nos chega da parte de Deus. É importante não confundir as duas dimensões de que acabamos de falar: o fato de Deus nos enviar uma provação não impede que, no plano humano, ela possa ser uma injustiça; o fato de os homens nos tratarem injustamente não impede que isto seja justiça da parte de Deus. Portanto, devemos evitar dois   erros: acreditar que um mal é no seu próprio plano um bem ou porque Deus no-lo envia, ou porque Deus o permite, ou porque tudo vem de Deus; e acreditar que uma provação, como tal, é um mal porque a sua forma é um mal e porque nós somos vítimas. Seria errado, também, acreditar que merecemos diretamente uma injustiça porque Deus permite, pois se assim fosse não haveria injustiça e os injustos seriam justos. Seria, também, inteiramente errado pensar que não merecemos uma provação porque nada fizemos que a tenha provocado logicamente.

René Alleau: ASPECTS DE L’ALCHIMIE TRADITIONNELLE

A noção   de Justiça na tradição   chinesa aparece assim como o atributo essencial, fundamental, do poder imperial antigo. Um imperador injusto expõe ao piores perigos físicos, materiais, todo o Império. As colheitas serão perdidas, o gado perecerá, o comércio estará em risco, monstros nascerão, o «Céu» e a «Terra  » testemunharão de sua cólera   por cataclismos sem número  . Eis poque quase todas as sociedades secretas chinesas que se propunham a derrubar uma dinastia reinante só tinham uma palavra de ordem  : «lutar pela Justiça» que não se deve evidentemente interpretar como a afirmação de uma ética sem cometer assim um grave contrassenso. Em realidade, o camponês, o negociante chinês compreendia de pronto o que significava, praticamente, o retorno ao equilíbrio assim exigido: melhores colheitas, afazeres prósperos, etc.