Página inicial > Medievo - Renascença > Philokalia Luta

Philokalia Luta

terça-feira 29 de março de 2022

    

Teofano o Recluso  :

Después de haberos abandonado a Dios y a su gracia en la oración, buscad en vosotros todo lo que os incita al pecado   y esforzáos por separarlo de vuestro corazón, orientándolo hacia lo que es opuesto. Por ese medio desarraigaréis el pecado, cuya fuerza será destruida. En esta tarea, dad toda libertad a vuestro poder de discernimiento y dejadlo conducir vuestro corazón.

Esta lucha contra las fuerzas del mal es absolutamente esencial, si queremos quebrar nuestra voluntad propia. Es necesario continuar combatiendo contra sí mismo   hasta que, en lugar de esa piedad y esa autocompasión nos sintamos sin piedad y sin compasión hacia nosotros mismos; continuar combatiendo hasta que tengamos el deseo de sufrir, de agotar nuestra alma   y nuestro cuerpo. Es necesario proseguir ese esfuerzo hasta que, en lugar de buscar complacer a los hombres, experimentemos un sentimiento de repulsión contra todos los malos hábitos y todo lo que les está asociado, hasta que los podamos resistir con coraje y tenacidad, sometiéndonos al mismo tiempo a todas las injusticias y todos los malos tratos que nos serán infligidos por tal causa  . Es necesario continuar hasta que nuestro apetito por las cosas materiales, sensibles y visibles, desaparezca completamente y sea reemplazado por un sentimiento de disgusto hacia esas cosas; entonces tendremos, por el contrario, hambre y sed de lo que es espiritual, puro y divino. En lugar de ligarse a la tierra, en lugar de poner todo su bienestar y su vida en este amor, el corazón comienza a ser colmado por el sentimiento de no ser sobre la tierra más que un peregrino   que aspira a reencontrar su patria.

Philokalia  -Therapeutes
O duplo movimento   da conversão (strepho - strepho, epistrepho, epistrophe  , metanoia - metanoeo, metanoia) ao Divino que, pela graça   de Deus  , na pistis   - fé, na penitência, na euche   - oração e na praktike   - prática dos mandamentos do Senhor, consiste na katharsis   - purificação das paixões e na aquisição das virtudes, é designado pela askesis   - tradição   ascética pelo termo praxis (praxis, praktike, praktike methodos  , praktike bios, philosophia   praktike, philosophia hempraktos, etc) ou ainda pelo termo askesis - ascese, este último tomado em sua acepção mais ampla de prática, treinamento, exercício, modo de fazer e de viver  ... Este duplo movimento supondo sempre esforços, e mesmo uma luta, um combate (contra as paixões e os daimonion   - demônios, pelas virtudes), e isto permanentemente, os termos agon (luta e combate) e athlesis (luta, exercício, treinamento) são igualmente frequentemente utilizados.

Ysabel de Andia  : Mystiques d’Orient et d’occident
O grande combate espiritual é o combate da euche - oração.

Evágrio, em seu tratado «Da Oração», antanhos atribuído a Nilo do Sinai   nos previne:
O daimonion - demônio é terrivelmente ciumento do homem   que ora, e emprega todos os meios para lhe fazer perder sua meta".

E:

Toda guerra engajada entre nós e os espíritos impuros não se leva para nada outro que não seja para a oração espiritual pois ela lhe é muito hostil e odiosa, mas para nós ela é salutar e muito agradável.

Aquele que oram devem vencer os pensamentos, suscitados pelo demônio, e em particular aqueles do demônio da acídia   que segundo Diadoco de Photiki  , conduz a alma, por excesso   de tristeza  , à «falta de esperança   e de fé».

Assim segundo o mesmo Diadoco como para santo Inacio de Loyola   nos «Exercícios Espirituais», isto pelo que se reconheciam os espíritos maus, é que eles conduzem a alma a uma atenuação da fé, da esperança e da caridade, enquanto a consolação   da alma pelos anjos   ou o Espírito Santo ele mesmo aumenta nela a fé, a esperança e a caridade.

O crescimento da vida teologal é portanto o signo   da vida no Espírito e todas as purificações da alma na Monte Carmelo Noite - Noite Escura não eram mais que purificações da fé, da esperança e da caridade.

Isaque o Sírio: ... combate secreto da mente  .

Nilo do Sinai:
Graças a seu hábito   de girar entre pensamentos a mente   é facilmente levada à perdição.
Embora nosso aspecto exterior seja apropriado para oração seguimos os pensamento que nos levam à perdição, pois ajoelhamos e parecemos àqueles que nos veem estar rezando; em nossos pensamentos imaginamos algo agradável, graciosamente falando com amigos, iradamente abusando dos inimigos, festejando com visitantes, construindo casas para parentes, plantando árvores, viajando, negociando, somos forçados com nossa vontade ao sacerdócio, organizando com grande circunspecção as questões das igrejas postas a nosso cuidado  , e tratamos grande parte disto em nossos pensamentos, consentindo a qualquer pensamento que vem.

Gregório do Sinai:
Os pensamentos mudam instantaneamente um do outro; o que os dá poder sobre nós é principalmente nosso próprio descuido.

Hesíquio de Jerusalém:
Nos esforçaremos por ser vazios, mesmo de pensamentos que parecem vir do justo, e em geral de todos os pensamentos, pois ladrões podem estar escondidos atrás deles.
A ciência e as ciências e a arte das artes é a capacidade de dominar pensamento malignos.
Esforce-se com todos seus esforços para cultivar a virtude da atenção, que consiste em vigiar   e guardar a mente e estabelecer um estado   abençoado da alma livre de phantasia   - fantasias.


Ver online : Philokalia