Página inicial > Antiguidade > Judaico-Cristandade > Gnosticismo > Evangelho de Tomé - Logion 105

BIBLIOTECA DE NAG HAMMADI

Evangelho de Tomé - Logion 105

EVANGELHO DE TOMÉ

quinta-feira 18 de agosto de 2022, por Cardoso de Castro

    

Jesus   disse: O que conheça a seu pai   e a sua mãe será chamado filho de prostituta  . (Roberto Pla  )

    

Pla

Jesus   disse: O que conheça a seu pai   e a sua mãe será chamado filho de prostituta  .

Puech

105. Jésus a dit : Celui qui connaîtra le père et la mère sera appelé fils de prostituée.

Suarez

1 Jésus a dit : 2 celui qui connaîtra le Père et la Mère, 3 l’appellera-t-on fils de prostituée ?

Meyer

105

Jesus said, “Whoever knows the father and the mother will be called the child of a whore.” [On despising physical connections, cf. Gospel   of Thomas 55; 101; Book of Thomas 144. On Simon Magus, Helena, and the soul  ’s prostitution, cf. Irenaeus   Against Heresies 1.23.2; Exegesis   on the Soul. On the tradition   of Jesus as the illegitimate child of Mary, cf. Origen   Against Celsus 1.28, 32; perhaps John 8:41.]

Canônicos

Vós fazeis as obras de vosso pai. Replicaram-lhe eles: Nós não somos nascidos de prostituição; temos um Pai, que é Deus  . (Jo 8,41)

jn  .8.41 υμεις [YE] ποιειτε [DO] τα [THE] εργα του [WORKS] πατρος υμων [OF YOUR FATHER.] ειπον [THEY SAID] ουν [THEREFORE] αυτω [TO HIM,] ημεις [WE] εκ [OF] πορνειας [FORNICATION] ου [NOT] γεγεννημεθα [HAVE BEEN BORN;] ενα [ONE] πατερα [FATHER] εχομεν τον [WE HAVE,] θεον [GOD.]


Roberto Pla

Segundo a tradição semita o homem   é filho de suas próprias obras e inclinações e nelas fica inscrito como partícipe com título de pleno   direito. Por isso a designação de filiação, tão comum nas Escrituras  , vem não só como reconhecimento de uma procedência, mas também, de um destino final e definitivo.

A filiação é, com rigor, a forma abreviada de refletir   uma situação   ou realidade que em outro caso exigiria uma explicação mais extensa e mais difícil de expressar. Daí a conveniência e a dificuldade   de desenvolver uma exegese dos motivos de cada designação de filiação, pois esta encerra em si mesma um esclarecimento de importância.

Um exemplo concreto do mecanismo destas adscrições de filiação (mesmo não registrada pela exegese manifesta), encontramos nos títulos que nesta ordem   aplica Jesus a seu discípulo   Simão Pedro  . Quando o futuro apóstolo   vai em busca do Messias, Jesus lhe dá o título de filho de João, com o que menciona implicitamente, não o nome de seu pai carnal, coisa carente de interesse   evangélico, mas sua procedência do batismo   em água de purificação dado por João Batista, o qual é estimado por Jesus como pai, nesse momento, da vida religiosa de Simão Pedro.

  • E o levou a Jesus. Jesus, fixando nele o olhar, disse: Tu és Simão, filho de João, tu serás chamado Cefas (que quer dizer Pedro). (Jo 1,42)

Mais tarde, quando o apóstolo descobre, por revelação interior, ao ungido  , ao Cristo, em seu verdadeiro sentido de Filho de Deus   vivo, Jesus o adscreve a sua recém chegada bem-aventurança   de ser filho de Jonas, isto é, de ser espírito   pronto a receber   o sinal de Jonas, enquanto candidato fervoroso ao terceiro dia, ao dia de sua ressurreição  , para alcançar a contemplação   da Vinda do Filho do homem.

  • Disse-lhe Jesus: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas (filho de Jonas), porque não foi carne   e sangue   que to revelou, mas meu Pai, que está nos céus. (Mt   16,17)

Por último, quando Jesus o Vivente aparece a seus discípulos às margens do Tiberíades, chama a Simão Pedro por três vezes seguidas em signo   de confirmação do que vai a dizer, e o denomina Simão de João, com o que indica não apenas uma filiação mas uma dependência   desta filiação. Alude Jesus com clareza   à procedência do batismo de João, em aviso do próximo destino do apóstolo ao batismo de cruz com o qual haveria de glorificar a Deus.

  • Depois de terem comido, perguntou Jesus a Simão Pedro: Simão Pedro: Simão, filho de João, amas-me mais do que estes? Respondeu-lhe: Sim, Senhor; tu sabes que te amo. Disse-lhe: Apascenta os meus cordeirinhos. Tornou a perguntar-lhe: Simão, filho de João, amas-me? Respondeu-lhe: Sim, Senhor; tu sabes que te amo. Disse-lhe: Pastoreia as minhas ovelhas. Perguntou-lhe terceira vez: Simão, filho de João, amas-me? Entristeceu-se Pedro por lhe ter perguntado pela terceira vez: Amas-me? E respondeu-lhe: Senhor, tu sabes todas as coisas; tu sabes que te amo. Disse-lhe Jesus: Apascenta as minhas ovelhas. (Jo 21,15-17)

Dentre as filiações a serem estudadas a mais importante é a de filho de Deus. Segundo as escrituras, o Caminho   do homem culmina no ato superior e decisivo de se fazer “filho de Deus. É este um Caminho que está aberto para todos os homens, e a clarificação de suas sendas em ordem a facilitar sua consumação   é o fundamento da difícil obra de Jesus e a essência   da Boa Nova (vide Parábolas).

VIDE: Filho de Deus; Adoção; Sinal de Abraão

Leloup

  • Ménard esclarece que conhecer seu pai e sua mãe, é estar na carne, logo ser prostituído à matéria.
  • Mas de que pai e de que mãe se trata? Não seria o Pai e a Mãe divinos de logions anteriores?
  • Podemos nos perguntar se o copista teria escrito: p’sere m’porne (filho de prostituta) ao invés de p’sere m’prome (filho do homem)?
  • Como este termo se encontra no verso seguinte deveria ser a palavra chave que ligava as duas sentenças.
    • Neste caso o sentido seria claro, como antes: todo gnóstico que conheça o Pai e a Mãe celestes será Filho do Homem.

Gillabert

  • A filha-mãe era ao olhos dos judeus   uma prostituta. Na câmara nupcial, não há prostituta. Aquele que aí habita é de fato de sua filiação. Sabe que veio do casal divino andrógino Pai-Mãe não diferenciado, cuja essência é luz, sendo ele mesmo andrógino: Logion 50; Logion 77; Logion 83
  • O mito   gnóstico atribui à Mãe, Sophia  , a obra da criação.
    • Ele precisa que Jeová, criado pela Mãe para gerar o mundo, agia como se era realmente o criador da raça   adâmica; esta atitude, Jesus a caracteriza pelas logia: Logion 46; Logion 85

Puech

  • Condenação brutal da filiação e da união   carnais, assimilando todo comércio sexual, seja ele legítimo, a uma porneia  , a uma «fornicação» ou a uma «prostituição».


Ver online : Evangelho de Tomé